Comfort Keepers

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

 Telefone Comfort Keepers  808 20 30 95

senhores-jardim

Notícias e Destaques

Newsletter Junho 2012


A Comfort Keepers alerta para o stress na terceira idade e quais os benefícios do voluntariado na vida dos seniores.

anncio_CK

Nesta newsletter alertamos para os 5 sinais de stress nos idosos e clarificamos a relação entre a perda de memória e a hipertensão. Sabemos o quão é importante para os idosos o sentimento de independência e integração na comunidade, por isso, revelamos quais os benefícios do voluntariado, entre eles a redução do stress, bem como as inúmeras possibilidades de o praticarem.

 


 

1 - Cinco Sinais de Stress nos Seniores

O stress é um factor comum nas nossas vidas, que atravessa todas as faixas etárias: desde as crianças, passando pelos adultos, até aos idosos, todos sofrem deste mal, de uma maneira ou de outra. 

As crianças experienciam-no na escola ou, simplesmente, ao atravessarem novas fases de crescimento e defrontarem-se com situações sociais dcoverfotoesconhecidas. Os adultos sentem stress por vários motivos, como assegurar as despesas mensais, o sustento dos filhos ou a manutenção das suas casas. Por sua vez, os idosos, apesar de já estarem reformados e com os filhos criados, continuam a sentir stress, principalmente, em situações delicadas, como a perda de um cônjuge e/ou de familiares e amigos.

O facto de viverem sozinhos e, frequentemente, isolados do resto da comunidade, aumenta o stress e faz com que, mesmo as tarefas rotineiras básicas, sejam difíceis de concretizar. Os efeitos do stress, nos seniores que sofrem de uma condição de saúde debilitada, podem agravar as suas limitações físicas e psicológicas.

O stress apresenta-se das mais variadas formas, no entanto, definimos cinco dos sintomas mais comuns, para ajudá-lo a detectar esta situação nos seus familiares:

  1. Mudança dos hábitos alimentares, como aumento ou perda de apetite excessivos, pode ser sinal que o idoso está sujeito a um stress prejudicial à sua vida.
  2. Mudanças repentinas de humor, devido ao stress, reflectem-se num aumento da irritabilidade, tristeza exagerada ou mesmo depressão.
  3. A perda de memória é outro dos sintomas críticos, manifestando-se no esquecimento de nomes de pessoas, lugares e falta de concentração, influenciando a capacidade de discernimento e tomada de decisão dos idosos, levando-os a tomar más decisões, como por exemplo, gastar dinheiro acima das suas possibilidades.
  4. Os sinais físicos do stress podem incluir dores no corpo, aparecimento ou agravamento de doenças e alterações nos padrões de sono - dificuldade para adormecer ou sono interrompido durante a noite.
  5. Os seniores que sofrem de stress excessivo, muitas vezes, isolam-se do resto da comunidade, recusando-se a participar em actividades comunitárias que, outrora, tinham prazer em realizar e rejeitando a interacção social.

Conhecer os sinais e detectá-los, numa fase inicial, pode ajudar os idosos a aprender a reconhecer os sinais de stress e a tomar medidas para aliviar os efeitos que este pode causar. Actividades como o Yoga, Tai Chi ou mesmo caminhadas, podem ajudar a aliviar a tensão, além de que contribuem para a boa forma física dos seniores.

Alguns idosos são incapazes de realizar este tipo de actividades físicas, mas há outras maneiras de reduzir o stress, tais como: praticar uma alimentação saudável e equilibrada, dormir uma boa noite de sono, participar em grupos de actividades que não envolvam esforço físico, como o bingo ou clubes de voluntariado, podendo, deste modo, socializar e esvaziar a mente das responsabilidades diárias. Além disso, existem alternativas de apoio aos idosos - centros de dia e/ou apoio domiciliário, que os podem ajudar na realização de tarefas domésticas ou ida às compras de supermercado, actividades diárias básicas que, por vezes, são fontes inevitáveis de stress.

Pelo facto do stress ser comum a todas as idades e perigoso, essencialmente, na velhice, não quer dizer que os seniores tenham que resignar-se e lidar sozinhos com este problema. Os familiares devem ajudar os seus entes queridos a planear as suas rotinas diárias, identificando os causadores de stress e delineando um plano de actividades diárias, isento de pressões e tensões exageradas. Com a ajuda de familiares e amigos, os idosos podem controlar os efeitos negativos deste mal e continuar a viver de forma independente e feliz no conforto das suas próprias casas.

 

2 – Memória e Hipertensão

Há medida que envelhecemos, é recorrente esquecermo-nos dos nomes de algumas pessoas, do que almoçámos no dia anterior, do contacto telefónico de um amigo ou familiar, entre outras coisas. Contudo, a maior parte das vezes, as pessoas comentam estas falhas de memória e riem-se pelo facto de ser um factor identificativo da chegada à senioridade, visto que a perda de memória a curto prazo, em quantidades moderadas, é um sinal de envelhecimento.

anncio_CK_2

Porém, nem sempre esse é o diagnóstico correcto e as falhas de memória podem ser sinal de hipertensão ou pressão arterial elevada. A hipertensão provoca danos nos vasos sanguíneos, acumulando placa bacteriana e outros tecidos e formando coágulos que bloqueiam a passagem do sangue e consequentemente impedem que o oxigénio chegue às células do cérebro responsáveis pela memória, células estas que acabam por morrer, inibindo esta função cognitiva.

A hipertensão pode causar doenças graves como aneurismas, acidentes vasculares cerebrais, aterosclerose coronária, entre outras condições que impedem ou diminuem a circulação do fluxo sanguíneo, causando demência vascular e provocando danos cerebrais. De facto, estudos indicam que as pessoas que sofrem hipertensão na meia-idade têm maior risco de desenvolver demência com a idade. O défice cognitivo, lacunas de memória e dificuldades de compreensão são, também, sinais dos pacientes com a demência do Alzheimer, que pode, igualmente, ser causada pelos efeitos de danos arteriais que dificultam o fluxo sanguíneo.

Na maior parte das vezes a hipertensão não é diagnosticada durante anos, especialmente, em indivíduos que não realizam check-ups regulares de saúde. A perda de memória, devido à hipertensão, vai progredindo ao longo do tempo, há medida que o fluxo de sangue é interrompido e que as células cerebrais morrem. Visto isto, inicialmente as falhas de memória tendem a ser pontuais mas, se não forem tomadas medidas para colmatar a hipertensão ou as outras doenças, gradualmente, vão-se agravando.

Por este motivo, todas as transformações na memória, que ocorrerem consigo ou com um familiar sénior, não devem ser ignoradas. Nos dias de hoje, basta dirigir-se a uma farmácia local para ter a oportunidade de verificar e monitorizar a sua pressão arterial. Se identificar sinais desta doença consulte o seu médico para lhe traçar um diagnóstico e tratamento adequado.

 

3 – Benefícios do Voluntariado

Os serviços de cuidados domiciliários ajudam os idosos a viver de forma independente nas suas próprias casas, apoiando-os nas tarefas domésticas e cuidados de higiene pessoais, o que lhes permite ter mais tempo livre para realizarem as actividades diárias que lhes dão prazer. Cada vez mais, os idosos direcionam os seus interesses e talentos para oportunidades de trabalho voluntário, sentindo uma grande realização e propósito em ajudar os outros. aniversario

Um estudo de 2009, realizado pela Sociedade Americana de Geriatria em Chicago, afirma que os aposentados com mais de 65 anos que realizam trabalhos voluntários vivem por um período de tempo mais longo, que os seus pares que não os praticam.

Embora este estudo não inclua as razões para os benefícios de saúde de voluntariado, outros estudos incluem. De facto, a organização americana: "Corporation for National and Community Service", compilou os resultados de 30 estudos acerca dos benefícios de saúde do voluntariado, concluindo o seguinte:

  1. Os indivíduos que praticam trabalho voluntário, estão menos sujeitos ao stress excessivo, visto que interagem socialmente, levando um estilo de vida mais activo, física e psicologicamente, o que reduz o risco de demências crónicas, doenças cardíacas e depressão.
  2. Um estilo de vida activo ajuda a impulsionar o sistema imunitário, permitindo uma maior protecção contra doenças e infecções.
  3. O voluntariado aumenta a auto confiança, a auto estima e é uma prova para os idosos que se mantêm activos e podem contribuir significativamente para a comunidade.
  4. Mais de 26 milhões de idosos nos EUA já descobriram diversos modos de praticar trabalho voluntário e receber os benefícios daí advindos: apoio às cantinas das escolas, recrutamento de doadores para unidades de sangue, participação em campanhas de angariação de fundos, apoio em actividades nas paróquias, entre muitos outros.

Os cuidadores que prestam serviços de cuidados domiciliários, além de permitirem que os idosos tenham tempo para realizar trabalhos de voluntariado, podem, igualmente, transportá-los até aos locais onde estes vão realizar as actividades.

Para aqueles que têm dificuldades de deslocação, as organizações voluntárias oferecem a oportunidade aos idosos de darem a sua contribuição a partir de casa, através da realização de artigos (mantas, cachecóis, etc.) para uma venda de angariação de fundos, confecção de refeições, preparação de envelopes, entre outras.

Escolas, organizações sem fins lucrativos, igrejas, hospitais, asilos, abrigos de animais e até mesmo empresas, aceitam de boa vontade a ajuda voluntária e valorizam a experiência e o conhecimento dos idosos.

Em suma, as oportunidades de voluntariado são praticamente infinitas, sendo que, com tantas maneiras de dar aos outros e, em contrapartida, receber benefícios de saúde, é altura dos idosos compreenderem como um cuidador em casa os pode ajudar a encontrar tempo suficiente para serem voluntários.


 
Voltar
Share to Facebook Share to Twitter Share to Linkedin Share to Google